[Palavra Chave] De soslaio

Solicitado por Kael Griever

askance

Ali de soslaio ela ficou olhando. Aquele moleque que acha que é um homem. Moleque exagerado que se acha o bom e fala demais. Ali de soslaio ela ficou olhando. Aquele moleque com idade de homem mas com atitude de criança. Aquele moleque que se acha o bom mas que fraqueja diante dela. Aquele moleque que fala um monte mas faz muito pouco. Ali de soslaio ela ficou olhando. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele homem que se esqueceu de se tornar homem. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele homem que não consegue colocar a cabeça no lugar. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele homem que finge para todos, e para si mesmo, que sabe cuidar de si. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele cara falastrão, que escreve palavras bonitas, que se veste como se fosse um rapagão, mas que treme na base na hora da verdade e que não consegue segurar o rojão. Ali de soslaio ela ficou olhando. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele jovem que deixou de ser jovem há muito tempo. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele jovem tremendo na caminha, cheio de medo do futuro incerto, incapaz de arranjar novo trabalho, desesperado porque não consegue pagar o aluguel, desamparado porque não consegue achar rumo na vida. Ali de soslaio, ela ficou olhando. Ali de soslaio ela ficou olhando a pretensão daquele moleque. Ali de soslaio ela ficou olhando aquele moleque metido que acha que pode namorá-la. Ali de soslaio ela ficou olhando os galanteios fajutos daquele moleque pilantra. Ali de soslaio ela ficou observando os exageros exacerbados daquele moleque safado, que se finge correto e comportado, que se acha capaz e informado, ali de soslaio, ela ficou olhando. Ali de soslaio, ela ficou olhando aquele moleque medroso, que não consegue tomar uma atitude de homem, que não tem humildade para assumir que errou, que não consegue sair do lugar e fica andando em círculos, tentando sabe-se lá o quê, que não transmite nenhuma segurança, que não passa nenhuma confiança, que perde tempo escrevendo sei lá o quê, que fica se debatendo pelos cantos incapaz de se mover e incapaz de dar um passo adiante rumo a um futuro promissor.

E ali, de soslaio, ela ficou olhando aquele moleque pé-rapado, trouxa, que se acha esperto, incapaz e inseguro, e que se esqueceu de crescer e de se tornar um homem. E que acha que é capaz de namorá-la. E ali, de soslaio, ela lhe deu as costas sem se dar ao trabalho de dizer nada.

Deseja solicitar uma palavra chave? Clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s