[Palavra Chave] Ei polícia, coxinha é uma delícia

Solicitado por Leonardo Calvano

Delícia

Delícia

– Que tristeza.

– Só.

– Vamos sangrar até morrer?

– Talvez…

– É…

– É.

– Sabe?

– Sim?

– Tudo isso é errado.

– O mundo inteiro é errado, cara.

– Eu sei. Mas não é disso que eu tô falando.

– O que é então?

– Sabe? Esta coxinha na minha mão.

– Tem um gosto horrível. Já provei.

– Não é verdade.

– O quê?

– Na real, cê não provou direito.

– Como assim, cara?

– Se liga. Esta coxinha aqui na minha mão. Ela se remexe bastante. Ela grita muito. Este salgadinho espetacular. Ele grita bastante em nome de direitos que já possui. Ele esbraveja pra todos os cantos pra manter privilégios que sempre possuiu. Isso não é fantástico?

– Cara, você não tá generalizando? Nem todas as coxinhas são assim.

– Concordo. Mas esta aqui na minha mão é genial!

– Não, cara. Tem um gosto horrível. Eu dei uma mordida…

– Cê tem certeza?

– Sim. Esse salgadinho aí não quer nem saber de ouvir a gente. Não quer saber. Sabe que tá até errado, mas não pode concordar, porque quem concorda com humanidades concorda com o outro lado, saca? É tipo time de futebol, não pode concordar jamais com os lances que o time adversário concorda. Mesmo sabendo que tá correto.

– Só. Cê tá certo.

– É. Mas o outro lado tem uns lances também…

– Tô ligado.

– Eles falam bonito um monte de paradas, de integrar a gente e tals, de contemplar geral e de ser esses negócios de intersocial e os caramba, mas no fim vários deles vacilam como os outros.

– É. Não tem o lado de cá e o lado de lá, tem é pra cima e pra baixo. E a gente que tá embaixo sempre fica aqui largado. E os cara não tão nem aí.

– Só…

– É. Mas, se tiver de se aliar a alguém, a gente se alia a quem?

– Ao pessoal que não concorda com essa coxinha na tua mão.

– Peraí, cara. Assim a gente tá jogando futebol também.

– Tô ligado. Mas não é meio inevitável?

– Talvez. Mas acho que, no fim, a gente usa o bom senso.

– O bom senso trouxe a gente aqui pra sangrar até a morte?

– Só…

– Os caras bateram forte dessa vez.

– Tão fazendo o dever deles.

– O dever deles é nos matar.

– É. Eles são treinados pra isso. O dever deles, é o que eu disse.

– Quando a gente fala, os caras acham que a gente exagera…

– Andar com medo todo dia é foda, né não?

– Só…

– Geral fala um monte. De todos os lados. A gente fala um monte. Mas agora a gente tá morrendo. Bom. Aproveita e come essa coxinha, cara. Tá uma delícia.

– Só…

Deseja solicitar uma palavra chave? Clique aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s