[Palavra Chave] Vai, Corinthian!

Solicitado por Ana Fiori

The Corinthian

The Corinthian

Vai, Corinthian! Vai se esgueirar por entre as frestas escuras, de terno branco e chapéu preto, vai se rastejar pelos espaços de pouca luz, vai farejando as lágrimas, as crianças que choram nos quartos abandonados, vai caminhando com uma faca em mãos, lâmina aguçada, o garoto encolhido em posição fetal, seu pequeno coração pulsando, lágrimas, lágrimas, o rostinho contorcido pelo medo, vai, Corinthian, vai com a faca em mãos, vai e corta a garganta do pequeno, de ponta a ponta, o sangue se despejando no chão imundo, vai, Corinthian, vai com a faca e lhe arranca os olhos, globos suculentos e frescos, e vai e os devora com seus dentes sedentes, vai com seus dentes onde deveriam estar seus próprios olhos, vai, Corinthian, vai se esgueirando pelas frestas, de terno branco e chapéu preto, vai se rastejando nas sombras da nossa árvore genealógica, vai se alimentar das melodias tristas que choram arrependimentos, vai se banquetear da culpa por ter falhado quando mais precisaram, o rapazinho sentado no canto da sala, despedido e sem emprego, fracassado inútil, sem amor e sozinho, a janela parece atraente, vai, Corinthian, vai se lambuzar do infeliz, vai com a faca na mão através da madrugada, uma estocada na garganta e o rapazinho nem sentiu, o pobre desgraçado já estava mais morto do que vivo, vai, Corinthian, arranca-lhe os olhos com suas três bocas, que delícia, Corinthian, vai se esgueirando pelas rachaduras da realidade, pelos poços fétidos de vergonha e medo, pelas poças fumegantes de ódio e desprezo, vai, Corinthian, vai se adentrando no quarto do engravatado que bateu na esposa, que roubou dos contribuintes e sabotou a própria empresa, bateu na esposa o valentão medonho, de terno e gravata e sorrindo na televisão, vai, Corinthian, vai se adentrando no quarto do infeliz chorão, de terno e gravata debaixo do chuveiro, atormentado pelo peso de existir e de ser um lixo podre que destrói tudo o que toca, vai, Corinthian, vai com a faca na mão, vai e lhe arranca o pênis fedorento, o engravatado valentão sangrando até morrer de cara no chão, vai, Corinthian, vai e lhe arranca os olhos com suas três bocas, vai se esgueirando por entre as frestas, vai se rastejando nas sombras da nossa árvore genealógica, vai abocanhar nossos temores e desamores, vai se banqueteando da solidão amarga, vai mordiscando o rancor perverso, vai bebericando a inveja ácida numa taça de marfim, porque você, Corinthian, de terno branco e chapéu preto, você é o pesadelo nascido para ser a escuridão, você é o medo do escuro em cada coração humano, você é o espelho sinistro do que mais odiamos em nós mesmos. Vai, Corinthian!!!

About the Corinthian.

Solicite você também uma Palavra Chave clicando aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s