[Palavra Chave] Tijolo Baiano

Sugerido por Lucas Marmitt

[Palavra Chave] Tijolo Baiano

Quadrado e sem graça

O Tijolo Baiano estava sozinho num canto. Sentia-se meio quadrado. Estava sozinho no canto escuro de paredes brancas. Olhava para frente e via uns homens com camisa pra dentro da calça ocupando toda a calçada; olhava para os lados e via carros amontoados gritando buzinas de frustração. Olhava para trás e via arrependimentos de uma vida sem brilho – ou pelo menos assim ele pensava. O Tijolo Baiano estava pensando como teria sido se tivesse feito diferente, e como poderá ser se esforçar mais. O Tijolo Baiano virou as costas quando ela apareceu de repente, pois a mágoa ainda é muito recente. O que é que o Tijolo Baiano pode fazer? Ele é quadrado, alaranjado, ele passa uma imagem de firmeza para alguns, mas por dentro seu miolo ainda está em cozimento morno. O Tijolo Baiano não faz ideia alguma de como se expressar adequadamente, então ele se senta e aguarda – enquanto faz o que deve ser feito. Seja lá o que for. O Tijolo Baiano é um redundante que engana bem, embora saiba que essa retórica para si mesmo não fará a menor diferença quando o momento chegar. E que momento é esse? O Tijolo Baiano não sabe dizer. Ele apenas fica ali sentado, espremido entre tantos outros, quadradões que nem ele, aguardando o momento certo para, quem sabe um dia, voltar a sorrir.

Quadrado e Sem Graça

Só que o tempo passou e o Tijolo Baiano não sorriu. Porque ele ficou esperando que algo acontecesse. E quem espera não alcança nem a própria sombra. O Tijolo Baiano então tentou se mover; só que aí se lembrou que estava espremido pelos seus. Quem são os seus? São outros sentimentos empacotados que nem ele, sentimentos atolados uns em cima dos outros, incapazes de se mexerem porque não se permitem colaborar. E onde você espera chegar agindo por conta própria, meu caro Tijolo Baiano? Ele não tem resposta. Ele mal sabe porque existe. O cimento está seco e firme, e seus irmãos estão todos atados uns nos outros; e a parede parece bem firme.

Mas a verdade. A grande verdade. Um assoprão. E o Tijolo Baiano vai ao chão. Despedaçado. Ao lado dos seus irmãos.

Fim.

Não entendeu nada? Os motivos deste post podem ser conferidos aqui.

Se quiser saber mais a respeito de tijolos, pode conferir aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s